top of page
  • Foto do escritorJudivan Gomes

Desemprego fica em 8,4% em janeiro, acima do esperado

No primeiro mês do ano, cerca de 9 milhões de pessoas estavam desempregadas no país; no trimestre móvel anterior, índice foi de 8,3%.





A taxa de desemprego no Brasil ficou estável no trimestre móvel encerrado em janeiro deste ano, oscilando de 8,3% para 8,4%, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgados nesta sexta-feira (17/3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


O resultado veio ligeiramente acima do esperado pelo mercado, que projetava um índice de desocupação de 8,3%, de acordo com o consenso Refinitiv.


Mesmo assim, trata-se do menor percentual para um trimestre móvel encerrado em janeiro desde 2015.

Em janeiro, cerca de 9 milhões de pessoas estavam desempregadas no país. Em relação ao mesmo período de 2022 (11,2%), o desemprego recuou 2,9 pontos percentuais. No período de um ano, a quantidade de pessoas desempregadas no Brasil diminui em 3 milhões.


“Essa estabilidade ainda seria uma repercussão da redução da procura por trabalho nos meses de novembro e dezembro de 2022 sobre o início de 2023″, afirma Adriana Beringuy, coordenadora da Pnad Contínua.

“Se, pelo lado da desocupação, há uma estabilidade, pelo lado da geração de trabalho, o movimento já é de perda de ocupação. Observamos, assim, dois panoramas: em uma análise mais de curto prazo, é observada uma queda na formação de trabalho, enquanto, no confronto com um ano atrás, o cenário ainda é de ganho de ocupação”, conclui.

Entre os setores que mais influenciaram o resultado do trimestre encerrado em janeiro, segundo o IBGE, estão as atividades de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca, aquicultura, administração pública e saúde. Em todas elas, houve perda nos níveis de ocupação.


IG

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page