top of page
  • Foto do escritorJudivan Gomes

Vereador lamenta e pede providências legais no caso de empresário acusado de agredir garota na orla

O vereador Marcílio do HBE (Patriota) afirmou que seu mandato vai acompanhar o caso cobrando do Ministério Públicos e órgãos competentes encaminhamentos


O vereador Marcílio do HBE (Patriota) lamentou o caso ocorrido no última sexta-feira (22) no qual um empresário foi acusado de agredir fisicamente e verbalmente a adolescente de 13 anos no Parque Cabo Branco. Ele ainda solicitou providências legais às autoridades competentes durante pronunciamento na sessão desta terça-feira (26), da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).


“Vimos uma criança tentando ajudar na aquisição de alimentos e outras necessidades que a família precisa. Ela se depara com atitude covarde e criminosa. A gente não pode deixar isso passar em branco. Seja humilde ou de classe social maior, criança é criança e merece ser respeitada. E esta criança foi covardemente agredida. Não tivemos cenas de que ela foi agredida fisicamente, mas ela foi moralmente difamada no meio de todos que estavam ali presentes”, afirmou o parlamentar, ressaltando que trabalho infantil é crime e que o ideal seria acionar os órgãos competentes.


O parlamentar fez apelo para que o presidente da Comissão de Cidadania, Direitos Humanos e Defesa do Consumidor (CCDHDC) da Casa, vereador Marcos Henriques (PT), para que “veja, reflita e acompanhe de perto”, o caso. “Sabemos da sua atenção, carinho e participação nesta Casa defendendo os direitos humanos”, destacou Marcílio do HBE, afirmando que seu mandato também vai acompanhar o caso, cobrando do Ministério Público e de autoridades competente as providências.


“Seja pequeno, médio ou grande empresário da cidade ou do país, tenha um pouco de Deus no coração. Quando se mexe com criança ou idoso, dói na carne e na humanidade, seja qual agressão for. Nenhuma criança merece passar por tudo isso, pois sabemos que é um direito da criança o respeito”, enfatizou Marcílio.


O vereador Milanez Neto (PV) sugeriu que os mandatos trabalhem de forma conjunta para acompanhar o caso. “Sou pai de família, cristão e humano. Não era uma pessoa pedindo dinheiro, ela estava vendendo produtos para sobreviver e um senhor de 70 anos ou mais, com uma bengala em suas mãos, agredir uma garota. Espero que o empresário possa se desculpar com a criança e com a cidade”, declarou. O vereador Odon Bezerra (Cidadania) salientou que não cabe retratação, cabe ação penal pública incondicionada. “Ele deve ser processado e deve cumprir, em razão da idade ter abrandamento da pena, mas em pune o Ministério Público não vai deixar”, garantiu.


O vereador Marcos Henriques destacou que também é presidente da Comissão em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente na Casa. “É algo revoltante. Precisamos de menos violência e mais humanidade, se não tivermos esse entendimento, os tempos que se avizinham serão terríveis. Em nome da Frente parlamentar, vamos ajudar e dar algum tipo de encaminhamento ao caso. Me solidarizo com a criança agredida e com a família”, destacou.


“Essa casa tem um papel de estar inserido na proteção do vulnerável e desfavorecido, se comprometer com aqueles que não têm socorro. Esta Casa tem que dar uma resposta. Não podemos permitir isso, tolerar isso é tolerar o sofrimentos e angústia”, afirmou Carlão (Patriota).

344 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page