top of page
  • Foto do escritorJudivan Gomes

Professores da rede municipal de Picuí paralisam atividades




A Central Única dos Trabalhadores está na luta junto ao Sindicato dos Servidores Públicos Municipais da Região do Curimataú – SINPUC, dando total apoio à greve dos professores da rede municipal de ensino do município de Picuí, que paralisaram as atividades nesta quarta-feira (15), decisão tomada pela categoria em Assembleia Extraordinária no último dia 11 de fevereiro.

Em forma de protesto pelo silêncio da gestão municipal para com a pauta da categoria, o SINPUC promoveu uma caminhada até o prédio da Prefeitura de Picuí, que culminou com um ato público.


Os professores estão reivindicando o reajuste de 14,95%, assegurado pela portaria n° 17 de 16 de janeiro de 2023 do Ministério da Educação, com pagamento retroativo ao mês de janeiro, conforme prevê o documento interministerial e a Lei Federal 11.708/2008.


O dirigente sindical Janiel César disse que, o SINPUC espera uma resposta o mais breve possível da gestão municipal. “O sindicato, como representante da categoria, está aberto a negociações e quer abrir este diálogo, objetivando um acordo entre a categoria e a gestão, para que o reajuste salarial seja consolidado, pois reajuste anual é um direito garantido desde 2008, por isso mesmo lamentamos que os profissionais da educação precisem ir às ruas e realizar paralisações para se efetivar o que já é um direito. Por se tratar de uma gestão que se entente por democrática e popular, esperamos que a educação e os direitos dos trabalhadores estejam na pauta prioritária”, espera o sindicalista.


Já o presidente da CUT-PB, Tião Santos, disse que a central também está em conjunto com o SINPUC tentando junto à gestão municipal de Picuí uma abertura de diálogo para que o direito da categoria dos trabalhadores em Educação desse município se consolide na prática, como prevê a Lei Federal.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page