• Judivan Gomes

Prévias do PSDB: instabilidade em aplicativo suspende votação de candidato tucano à Presidência

Arthur Virgílio, Eduardo Leite e João Doria disputam quem concorrerá pelo partido ao Planalto em 2022. Pleito foi pausado por volta das 18h deste domingo (21) e não tem data para ser retomado.




O PSDB informou neste domingo (21) que o processo de votação das prévias que vão definir o candidato do partido à Presidência da República "encontra-se pausado" devido a um problema de instabilidade no aplicativo de votação.

Disputam as prévias tucanas para as eleições presidenciais de 2022 o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio; o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite; e o governador de São Paulo, João Doria. A votação teve início às 7h deste domingo (21) e estava prevista para acabar às 15h. No entanto, durante a manhã, devido a problemas na plataforma, a sigla chegou a prolongar o pleito até as 18h. Em nota, o partido disse que o aplicativo "não comportou a demanda dos votantes das prévias", que os votos registrados neste domingo estão preservados e que a data de retomada da votação ainda será definida (veja abaixo a íntegra da nota). "O PSDB definirá nova data para reabertura do processo de votação para que todos os filiados que não puderam votar neste domingo possam, com tranquilidade e segurança, registrar o seu voto e concluir a escolha do nosso candidato às eleições presidenciais de 2022", diz o documento. O presidente do partido, Bruno Araújo, disse neste domingo (21) que está prevista nesta segunda-feira (22) uma reunião com representantes dos três pré-candidatos. "Amanhã no início da tarde haverá um parecer técnico com representantes do governador João Doria, do governador Eduardo Leite e do senador Arthur Virgilio sobre qual é o real status, o diagnóstico do aplicativo, para entender qual é o tempo de viabilidade de resolução dele", disse Araújo.

O presidente do PSDB disse ainda que o aplicativo deve ser disponibilizado assim que for "viável".

"O prazo limite depende da questão técnica. O prazo é limite se o aplicativo apresentar viabilidade de ser resolvido, por exemplo, até domingo”, disse Araújo", afirmou o presidente do PSDB.

Instabilidade no aplicativo

Ao todo, 44.700 pessoas se cadastraram para votar nas prévias do PSDB. O partido previa que 700 mandatários votassem presencialmente, em urnas instaladas em um centro de convenções em Brasília, e que o restante recorresse ao aplicativo.

No entanto, os usuários reclamaram de falhas na plataforma. Entre os problemas identificados, foram relatados erros no momento em que tentavam fazer o reconhecimento facial.

O aplicativo de votação foi desenvolvido pela Fundação de Apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A plataforma exige dupla verificação para a validação do votante, com identificação facial e validação por código enviado por SMS para o celular do filiado.

Em nota divulgada no início da tarde deste domingo, o presidente estadual de São Paulo do PSDB, Marco Vinholi, afirmou que a plataforma de votações apresentou instabilidade e que o diretório tucano do estado "requereu providências" a fim de que não houvesse "prejuízo enorme para o filiado exercer o seu direito ao voto".

Depois, também durante a tarde deste domingo, o diretório estadual do PSDB no Rio Grande do Sul divulgou uma nota qual informou ter pedido à Executiva Nacional da legenda uma reunião para avaliar "as condições e a evolução da votação" e decidir "as providências a serem adotadas para garantir a legitimidade do processo eleitoral".

No meio da tarde, membros do partido se reuniram em busca de uma solução para o problema. De acordo com informações do blog da Ana Flor, até as 17h apenas 10% dos inscritos para votar nas prévias do partido tinham conseguido registrar seus votos.

Em nota, a fundação que desenvolveu o aplicativo disse que "está investigando todas as possíveis causas da instabilidade verificada no aplicativo das prévias do PSDB" e que "os problemas não têm qualquer relação com a compra de licenças para suportar o reconhecimento facial dos filiados".

A fundação disse ainda que "os votos até agora registrados não serão perdidos, e a segurança do sistema não foi afetada".

Manifestações

Após a suspensão da votação, os candidatos João Doria e Arthur Virgílio divulgaram uma nota em que defendem que a votação seja retomada no próximo domingo (28) "para que o processo de prévias se encerre de forma rápida, eficiente e justa".

Ainda, segundo o documento, "prolongar ainda mais o processo de prévias seria um desrespeito aos filiados tucanos e ao processo democrático".

Os candidatos disseram também que "foi alertado durante todo o processo sobre a fragilidade do aplicativo e os problemas de instabilidade e insegurança que o modelo proposto poderia trazer para as primárias".


O candidato Eduardo Leite também se manifestou neste domingo (21) por meio de nota. Ele defendeu que a votação se encerre em, no máximo, 48 horas.

"A campanha de Eduardo Leite manifesta-se em nome do bom senso, da celeridade do processo e da manutenção do regramento eleitoral pela conclusão do processo em, no máximo, 48 horas, exigindo um aditamento ao edital com o novo prazo", diz a nota.

Prévias

Esta é a primeira vez que o PSDB recorre às prévias para escolher o candidato ao Palácio do Planalto. Ao g1, os coordenadores das prévias Marcus Pestana e José Anibal, além do presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, reconheceram que há divergências dentro da legenda e que as prévias são único caminho para a unidade ao partido.

Além disso, para os articuladores, o modelo serviu também para dar visibilidade ao partido a pouco menos de um ano das eleições.

Araújo disse neste domingo (21) que a votação deve gerar um "racha" na legenda, mas que será preciso "lamber as feridas internas" e unir os tucanos.

"Devem e têm de provocar um racha. Eleição não é confraria. Eleição é disputa. agora temos até agosto, que são as convenções do ano que vem, para construirmos entendimento. [...] Cabe ao escolhido de hoje demonstrar maturidade, liderança no sentido de ter capacidade de construir, lamber as feridas internas e unir o partido."

--:--/--:-- Prévias geram 'racha', e vencedor terá de 'lamber feridas' e unir PSDB, diz Araújo


Em declarações neste domingo, os candidatos também falaram em união do partido após as prévias. Saiba o que disseram (por ordem alfabética):

Para o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio, é preciso haver "paz", "tranquilidade" e "honradez" após a disputa.

Ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio durante as prévias do PSDB em Brasília — Foto: Reprodução/TV Globo

"Você dividir uma coisa pequena não é inteligente. Eu sempre digo que a inteligência, ela tem limite. Mesmo a do Einstein. Mas a burrice, ela é ilimitada. A burrice, a arrogância, ela é ilimitada. Então, eu entendo que o partido, para conseguir alguma coisa nesta eleição, ele tem que unir suas forças, tem que haver humildade de todos", declarou Virgílio.

Governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, tira foto com apoiador durante prévias do PSDB em Brasília — Foto: Alexandro Martello/g1


Eduardo Leite afirmou que, após as prévias, o PSDB estará "unido" no objetivo de "tirar o país dessa polarização".

"A política, naturalmente, no momento da eleição, ela divide, pois a gente acentua a diferença entre as candidaturas. Mas, passado o processo e tendo o resultado, tenho absoluta certeza que o partido estará unido com um único proposito, que é tirar o país dessa polarização, que gera tantos prejuízos para a população. Vamos unir o PSDB e depois vamos unir o Brasil", declarou.

Governador de São Paulo, João Doria, posa para foto com apoiadores durante prévias do PSDB em Brasília — Foto: Alexandro Martello/g1

João Doria, por sua vez, afirmou que o PSDB sairá "mais unido e mais forte do que nunca" das prévias.

"Está respeitando o voto, respeitando a liberdade, respeitando o direito de todos os seus filiados votarem e escolherem o seu candidato à Presidência da República. Viva o PSDB, viva a democracia, viva o Brasil. O PSDB sairá mais unido e mais forte do que nunca. O PSDB está unido, e continuará unido e fortalecido", acrescentou.

Outros pré-candidatos

Ciro Gomes, do PDT, já anunciou que é pré-candidato à presidência. Lula, do PT, disse na Espanha que anuncia em fevereiro ou março a decisão sobre se lançar candidato.

Sérgio Moro se filiou recentemente ao Podemos, mas ainda não anunciou formalmente a candidatura.


No PSD, fala-se nos bastidores em Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, o mesmo acontece no MDB, com a senadora Simone Tebet.

O Cidadania lançou a pré-candidatura do senador Alessandro Vieira à presidência da república.

O Avante anunciou a pré-candidatura do deputado federal André Janones. O partido Novo lançou a pré-candidatura de Felipe D'Ávila.

Veja a nota do PSDB na íntegra

O PSDB concluiu, às 18h deste domingo, o processo de votação em urna eletrônica para a escolha do candidato do partido à presidência da República.

O processo de votação em aplicativo encontra-se pausado em razão de questões de infraestrutura técnica, que não comportou a demanda dos votantes das prévias.

Os votos registrados neste domingo estão preservados e o PSDB está definindo, junto com os candidatos, em que momento o processo será retomado.

O PSDB definirá nova data para reabertura do processo de votação para que todos os filiados que não puderam votar neste domingo possam, com tranquilidade e segurança, registrar o seu voto e concluir a escolha do nosso candidato às eleições presidenciais de 2022.

Os votos recebidos tanto pelo aplicativo quanto por meio das urnas eletrônicas ao longo deste domingo serão totalizados ao final do processo de votação.

A integridade e a segurança do sistema estão totalmente preservadas.

Todos os votos registrados desde a abertura da votação neste domingo estão válidos e serão computados.


G1

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo