top of page
  • Foto do escritorJudivan Gomes

Jornalista choca com comentário contra ministro: “Encontro marcado com Satanás”




Boris Casoy voltou a fazer críticas ao Governo Bolsonaro. Nesta sexta-feira (21), no CNN Liberdade de Opinião, o jornalista soltou o verbo contra o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e disse que ele tem “um encontro marcado com Satanás”.

O ex-âncora afirmou que o “encontro” seria para explicar suas atitudes em relação ao negacionismo infanticida do governo federal.

“Ministro, você tem um encontro marcado com Satanás. Não se esqueça disso. Você vai ter um diálogo longo, duro e penoso com Satanás por conta das atitudes que o senhor tem tomado, inclusive de submissão. Em vez de assessorar o presidente e esclarecer o presidente, o senhor obedece a desígnios políticos”, disparou o famoso.

Boris Casoy também mencionou a decisão de Marcelo Queiroga e Damares Alves de visitarem a família da menina que se tornou peça de propaganda dos militantes antivacina.

[Essa visita] tem um fundo político malévolo de desacreditar a vacina, de fazer com que as pessoas acreditem que o problema cardíaco da menina se deve à vacinação”, afirmou ainda o jornalista da CNN Brasil.



Boris Casoy faz apelo a Bolsonaro

Em sua estreia no quadro do telejornal, no último dia 10, o veterano comentou a carta divulgada pelo diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres, em resposta aos ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL).


Boris Casoy fez questão de mandar um recado ao político, com direito a um pedido especial: “Eu sei que o presidente assiste ao noticiário matinal da CNN, e eu faria um apelo: presidente, em nome até da sua candidatura, politicamente é muito ruim o que está acontecendo. O senhor está perdendo votos, então dê um recuo”.

“Faça um ato de grandeza e se retrate. Claro, de uma maneira que não lhe afete a honorabilidade. Mas, quem conhece a personalidade do presidente, eu repito, sabe que isso é muito difícil”, disparou o jornalista.


O comunicador ainda ressaltou que o episódio representa um rompimento entre Jair Bolsonaro e Barra Torres. Casoy ainda afirmou que os dois já não se falam e que, em Brasília, pessoas próximas atuam para acalmar os ânimos.

Com RD1






213 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page