• Judivan Gomes

CMJP debate lançamento das Conferências Municipal, Estadual e Nacional de Educação

Evento reuniu de forma remota representantes de entidades de classe da Educação da Paraíba


A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou na tarde desta segunda-feira (5), uma sessão especial para discutir o lançamento das Conferências de Educação Municipal, Estadual e Nacional. O evento contou com a participação de professores, trabalhadores e representantes de entidades de classe da educação da Paraíba, foi realizada de forma online e transmitida através da TV Câmara JP - 6.2 (digital) e pelo canal 23 da Net (TV a cabo), como também pelo Youtube, Rádio Câmara FM 88.7 e o Portal da Câmara de João Pessoa (www.joaopessoa.pb.leg.br).

O vereador Marcos Henriques (PT), autor da propositura, afirmou que o atual momento desafia todos a buscarem no conhecimento caminhos para superar os desafios que estão postos para a sociedade brasileira como um todo. "A educação tem a prerrogativa histórica de mobilizar a sociedade para a tomada necessária de consciência e para o rompimento dos grilhões do obscurantismo, iluminando o futuro e transformando a nossa sociedade”, complementou.

Para a secretária municipal de Educação de João Pessoa, América de Castro, o momento de pandemia em âmbito local e no Brasil e a suspensão das atividades presenciais geram consequências que não correspondem à diminuição dos trabalhos do ensino e da gestão educacional local. “Tivemos que repensar nossas práticas, reestruturar nossas unidades de ensino, enfim, nos reinventar”, afirmou.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de João Pessoa, Daniel de Assis, disse que “estamos mobilizando toda a população brasileira para lutar pela educação como um direito social inalienável, que tem a mais ampla abrangência, que seja pública, tenha um caráter laico e que seja democrática”.

José Jackson Amâncio Alves, presidente do Conselho Estadual de Educação, afirmou que a educação foi um dos segmentos mais prejudicados no atual governo e que as perdas foram potencializadas pela pandemia. “Perdemos muito. Cerca de duas décadas de retrocesso. São cinco milhões de excluídos das escolas em idade de seis a 17 anos”, acrescentou dizendo que a realização da Conferência em um ano de centenário de Paulo Freire vem trazer aspectos que são peculiares do trabalho e da dedicação do educador, que é, justamente, a educação pública de qualidade.

Participaram ainda da sessão especial o professor Wilson Aragão; a coordenadora do Fórum Estadual de Educação da Paraíba, Leônia Gomes; além do coordenador do Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação da Paraíba, Antônio Arruda; do presidente da Aduf-PB, Fernando Cunha, entre outros.

7 visualizações0 comentário